Altares e Religiões

Vamos falar sobre Bruxaria, Deuses, Crenças, Emancipação da escravidão mental… e altar Vodu…

Qual sua religião? – calma, não precisa me responder… é uma pergunta para você, ela vai fazer sentido já já…

A sua religião possui altares? Altar é um local comum, e ao mesmo tempo diferente. Ele é comum porque é um local como qualquer outro qualquer, e pode ser erigido (montado) em qualquer lugar, seja numa mesa, seja numa cadeira, seja no chão, ou em uma prateleira – não importa muito o local, o que importa mesmo é: onde você pode e quer monta-lo.

Um altar tem apenas uma serventia: ser um ponto onde você vai se harmonizar (eu não digo se conectar, porque acredito que nunca nos desconectamos de: deus, deuses, santos, orixás, loas… ou seja lá como você chama o “seu” divino e sagrado…) – é um local para você se harmonizar, e claro, fazer suas orações e preces…

Claro, existem pessoas que utilizam o seu altar como mesa de trabalho, e ali, fazem não apenas suas orações e preces, mas também fazem outros serviços religiosos, como acender velas para terceiros (os famosos feitiços de fogo), ou fazer oferendas para antepassados – essa nuance é interessante, porque o altar também é um portal, então aquela mesa, cadeira ou chão… se torna um local onde os véus entre os mundos ficam tão, mas tão finos – por conta das orações constantes, e das preces citadas, ou dos mantras repetidos, ou mesmo do iluminar e escurecer das velas… – que naquele local, os mortos da sua família, podem realmente tocar – como eu posso tocar em você – as coisas que são oferecidas a eles… mas como eles não tem corpo, e os nossos olhos físicos só são capazes de ver matéria, então eles (os antepassados, os ancestrais…) só são capazes de consumir aquilo que é do espirito, ou seja, a energia das oferendas…

Então, deixe-me falar do meu altar… eu sou uma pessoa emancipada de religiões, e ao mesmo tempo pertenço a todas elas… tenho especial carinho pelo Voodoo caribenho (que é uma das únicas religiões do mundo, que é focada em Harmonia e Cura espiritual – e não é sobre a harmonia para viver no mundo, ou a cura do meu corpo… é a harmonia da minha existência, e a cura da minha comunidade como um todo, eu me curo, curo minhas magoas, e curo minha família e a harmonizo… eu acho isso lindo…), e pratico Hoodoo (que é folclore afro-americano…).
No meu altar tem figuras de Deuses, Santos, Loas, e Orixas… tem conchas, madeiras, pedras, estatuetas de anjos.
Não adoro imagens – é importante dizer isso! Todas as figuras que tenho, todas as estatuetas e imagens que tenho, serve para eu me lembrar que aquela força existe… então eu olho para aquela imagem e recordo que aquela força existe, um dia ela me foi apresentada, que um dia ela foi enviada a mim, que um dia aquela força falou comigo e continua falando – seja através do vento, através de uma mensagem escrita, seja através de uma musica, seja através da risada de uma criança ou mesmo do cocorica das galinhas – porque seres espirituais, escolhem meios diversos para falar conosco – então pode-se parecer algo pequeno, e tosco, uma estatueta num altar, onde a pessoa adora uma “pedra”, pode parecer; mas por atrás daquilo, quando se observa o significado daquilo, é algo muito mais arrojado, é algo muito mais significativo – e aqui é importante a gente entender o que é “emancipar-se” (se livrar) – quando me emancipei de religiões, me livrei das cargas energéticas que elas carregam.

Vou te dar alguns exemplos:

Por muitos anos da minha vida me dediquei ao estudo de culturas, porque eu gosto de cultura, folclore, superstição – eu sou um homem de crenças – então quando me deparei com a “cultura da bruxaria moderna” eles enfatizaram que a igreja católica era uma “inimiga” uma suposta inimiga que caçou e matou muitas bruxas durante a idade média… com o tempo e com a evolução espiritual (evolução espiritual é o ganho de conhecimento e o que te torna diferente “não ignorante” perante as coisas) – eu passei a compreender, que a bruxaria moderna, era uma “releitura” da Bruxaria – e que a bruxaria moderna, incutia isso nas pessoas, essa raiva esse ódio, de algo que havia passado a muito tempo, que não refletia mais as nossas realidades.

Eu nasci em berço católico – fui batizado ainda criança -, esabe como é assustador, gostar de algo (como a bruxaria) mas é errado ser parte de algo que matou um monte de gente…

Então conforme eu ia evoluindo espiritualmente (ganhando compreensão das coisas), eu entendi que Bruxaria moderna, não refletia os valores da “Bruxaria raiz” que inclusive a bruxaria Raiz, fala sobre qualquer coisa, menos “religião” religião não era a “Bruxaria”, mas a “Bruxaria moderna” queria ser religião – e o que as religiões fazem? Se combatem – é muito normal ver a religão A, combatendo a religião B, e que “vença a melhor” – eu aprendi que a “Bruxaria Raíz” não perde tempo disputando espaço, ela coexiste, ela não perde tempo apontando dedo pra religiões, ela não perde tempo carregando ódio que foi gerado a tempos passados ou em momentos futuros, ela simplesmente segue o eu caminho…

Então com o tempo passei a entender que os meus inimigos não eram os DEUSES, SANTOS, ORIXAS, e outros seres que “moravam” nessas religiões, mas sim as RELIGIÕES que usam os SERES, para pode “separar”, “dividir” e “ganhar votos como uma boa religião”… no fim das contas eu acabei percebendo que muitas religiões, usam a palavra “AMOR” para promover o “ODIO” entre as pessoas… muitas religiões destroem famílias, acabam com os laços e com a união entre as pessoas, ditam e dizem que um grupo “esta errado, porque não esta adorando a DEUS”, ditam que um grupo “é errado, porque quer esta com pessoas que mataram pessoas como eles…” – Regiões usam as pessoas para seus propósitos, através da figura de pessoas que estão ali, dentro das religiões…

E embora muitas religiões preguem o amor entre seus pares, ainda vemos pessoas horríveis, sendo horríveis com seus pares. Pessoas que são cristas, sendo escrotas com outras pessoas cristãs… e Bruxas sendo as piores pessoas do mundo, e altamente toxicas com outras bruxas.

Então quando chegamos no Altar – ele não diz: “Qual sua religião”, ele diz “Com quem você quer falar hoje”… e ai (Dependendo da religião) você pode falar com seu pai que já se foi, ou com sua bisavó, ou com um irmão que não esta mais aqui… porque essas pessoas são os verdadeiros deuses e deusas da sua família – sabe quando alguém diz “o Meu Deus é o Deus do Impossível”, ele ou ela está correto, o Deus dela é… o seu pode não ser o mesmo dela” – Por isso que acho importante se emancipar de religiões que nos separam dos verdadeiros deuses (os deuses da nossa família…) e nos forçam a adorar falsos deuses (deuses estrangeiros que nada tem a ver com nossas vidas, ou que nunca de fato os conhecemos – aqui você pode interpretar da melhor ou pior maneira…).

Altares são lugares, locais, pequeno… as vezes feitos em mobílias lindas e maravilhosas, as vezes feitos no chão sujo – não importa! -, Onde você irá conversar com o Deus ou a Deusa, ou o Santo, ou o Loa ou Orixá, ou antepassado… ou qualquer outro, QUE FAÇA PARTE DE SUA FÉ.

Se emancipar das falsas estruturas é importante – estar presos a elas já estamos, e a nossa missão é nos tornamos tão maiores e melhores, que essas coisas se tornam pequenas demais pra nós.

NO SEU ALTAR – você pode ter imagens de DEUS, DEUSA, DEUSES, Santos… Loas, ORIXAS… não importa de qual religião ele ou ela é (na realidade DEUS nenhum pertece a religião nenhuma – até porque religiões são criações de homens, para outros homens… são criações para “mandar” e exercer poder sobre outras pessoas) – então não esquece: Jesus, Maomé, Buda, Khrishina… não são propriedades de religiões, mas foram apropriados – se você gosta deles, e gosta dos ensinamentos deles, siga… mas você não precisa seguir a religião que os tomou para si… Não importa o grau de importância que ele tem por ai, e o porque. O que importa é como ele toca você, como ele fala ao seu coração e do quanto ele te torna um ser humano melhor.

Você pode acender velas no seu altar e pedir coisas – sim.

Você pode pedir que seus inimigos caiam? – sim… (deuses são tribais, existem os teus e os dos teus inimigos… ainda sim, não significa que a tua VENUS, é a mesma VENUS do seu inimigo, divindades se manifestam de forma múltiplas, o mesmo nome divindades diferentes… e por incrível que pareça, tudo começa dentro de nós, como nosso caráter é, nossas divindades será – vou te dar um exemplo: Conheço uma pessoa que se diz “devota de Ezulie Freda” a Deusa Caribenha que personifica o “Amor”, e fico pensando, será que Freda, a mesma Freda para quem eu acendo vela, será que ela ouviria as suplicas daquele “lixo” de ser humano? – bom, a minha não… suponho que então, essa divindade de apresente de forma múltipla, conservando a particularidade para cada um…).

Existe problema em misturar varias divindades em um altar – algo como choque de egregora? NÃO – porque você estará reunido, seres, não religiões, não cultos…  quando você acende uma vela para uma divindade, que o METODO seja igual para todos… passe “óleo especial do Hoodoo” na vela, e ofereça para a divindade – da mesma forma que você faz para um, faça para os outros, pode ser tudo junto, pode ser em dias diferentes. (esse é o seu método, seu culto – como é o nome da sua religião? Bom, você pode chamar sua religião, pelo seu nome…).

No dia da divindade você pode oferecer uma bebida ou um alimento para ela – porque é o dia dela – e as outras divindades? Elas terão a vez delas.

Por fim, seres espirituais, pensam de forma diferente de nós – porque eles não tem essa cabeça física que temos, que cria e projeta as coisas, como bom ou mal, certo ou errado – eles são mais evoluídos, eles entendem que não somos tão grandes, e ele nos ajudam e nos auxiliam (ou nos derrubam e nos atrapalham – tudo vai depender de você, como você age no mundo, se você é do tipo que vive no mundo atrapalhando os outros, com certeza você vai ser derrubado/derrubada, porque todas as pessoas no mundo tem seus protetores… e claro, tudo vai do seu nível de compreensão, e entendimento – as vezes “cair” não é necessariamente uma queda. As vezes “cair” hoje, é uma vitória que só vem anos a frente! Nós somos pessoas lineares, os Deuses não.).

Não tem problema, ter um ALTAR DA ONU – reúna em um local tudo e todos que você gosta, e deixe que eles morem com você, e nunca deixe que ninguém te diminua, ou diga que você é menos bruxa, ou menos bruxo, porque tem a imagem de uma santa, ou santo, ao lada de um bunda ou uma deusa… a tua fé e crença, não diz respeito a ninguém, é seu – e na Bruxaria, não existe um INMETRO que regule nossas praticas – apenas nós, e as pessoas só podem ser atrevidas e se meter em sua vida, de acordo com o espaço que você da a elas, então, não de esse poder a elas, e alguém falar algo, apenas diga de forma gentil “meu anjo, o que você esta fazendo aqui mesmo?”

E se emancipe das religiões que dividem e separam…

Por fim, eu APRENDI que BRUXARIA não é a coisa mais IMPORTANTE – a BRUXA é a mais importante, você é mais importante que a bruxaria, porque isso é como um rio… A BRUXARIA é o Rio… e a BRUXA é a fonte do rio… é de você que tudo nasce, se você seca a bruxaria acaba.

Como diz um ditado Stregha (as bruxas da Italia) – “No dia que a Bruxa morre, o Sol não nasce”.

Se você quiser ter um Altar Vodu, para os Seus antepassados… é muito simples de fazer…

Pode ser no Chão, ou em uma Mobília…

1 – Faça uma mistura de água com rum branco, e com essa misture limpe ou lave o loca..

2 – coloque uma toalha branca no local.

3 – coloque fotos dessas pessoas, ou uma pedra para representar seus antepassados – essa pedra deve ser lavada com a mesma mistura que você limpou a mobília ou o chão.
4 – acenda uma vela no local, vestida com bom óleo, e ofereça aos seus antepassados, dizendo o quanto você é grata, ou o quanto você lembra deles, peça força, coragem…

5 – tenha uma sineta, e toda vez que você for fazer uma oferenda, seja de bebidas, comidas, ou qualquer liquido, toque a sineta antes…
6 – a forma como esses seres irão se comunicar, é muitas vezes bem singular… pode ser através de um pensamento que de repente surge como algo aleatório e quando você vê já respondeu algo, pode ser como uma musica que fale sobre algo no qual você pediu ou perguntou… pode ser através de sonhos; através de conselhos de terceiros… você sempre irá saber quando os seus DEUSES falar com você.

7 – em dias de nascimento, acenda velas… em dias de morte, acenda velas… em dias festivos, acenda velas, em dias tristes, acenda velas.

8 – nunca acenda vela para pessoas que não é da sua linha de sangue (um parente de sangue) dentro de casa; se for um parente “de consideração”, acenda do lado de fora.

 

COMENTA o que você achou do texto, suas duvidas… faça seus apontamentos… e eu irei responder se for preciso, onde? AQUI: https://bit.ly/3bBeb7y

 

Texto: Kefron Primeiro